Organizações se mobilizam contra o cancelamento de edital de Meio Ambiente em Pernambuco

Após 19 meses de espera, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) de Pernambuco cancelou o Edital Semas nº 1/2022, que contemplava nove projetos de fomento à proteção de nascentes. A decisão gerou questionamentos nas organizações selecionadas, que se mobilizaram para reivindicar seus direitos.

As entidades argumentam que o cancelamento fere a confiança das entidades e das comunidades que serão beneficiadas pelos projetos e representa um retrocesso no desenvolvimento sustentável e a proteção das águas. Além disso, questionam a falta de transparência e diálogo por parte da Semas, que não apresentou justificativas claras para a decisão.

Em resposta, as organizações cobram abertura de um canal de diálogo para buscar soluções conjuntas e a garantia da continuidade dos projetos aprovados. O caso também serve como alerta para os riscos do descaso com projetos de impacto social e ambiental.

Assinam: Associação Águas do Nordeste (ANE), Associação da Comunidade Indígena Xucuru / Coletivo de Agricultura Indígena Xucuru do Ororubá Jupago Kreká, Centro de Assessoria e Apoio a Trabalhadores/as e Instituições Não Governamentais Alternativas/CAATINGA, Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá (Centro Sabiá), Centro de Educação Comunitária Rural – CECOR, Centro de Habilitação e Apoio ao Pequeno Agricultor do Araripe/Chapada, Diaconia, Rede de Mulheres produtoras do Pajeú e Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta)

Confira a carta na íntegra

1 Comentário
  1. 1 mês ago
    Ricardo Braga

    Importante é que TODAS as entidades que estão sendo prejudicadas assinaram o documento, evidenciando uma indignação coletiva.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*