Projeto forma turma de agentes populares ambientais

Quem atua na Estação Ecológica de Caetés, em Paulista, sabe os desafios de proteger o meio ambiente das ações poluidoras do homem. Pensando em minimizar os impactos ambientais dessas ações, a Associação Águas do Nordeste (Ane) desenvolveu o Projeto Formação de Agentes Populares Ambientais da Estação Ecológica (Esec) Caetés, no âmbito do edital n° 02/2016, da Agência Estadual de Meio ambiente (CPRH), que aproximou comunidade local e unidade de conservação. A ação deu certo: 33 agentes populares ambientais foram formados e pretendem continuar as ações de defesa da unidade.

Para Severino da Silva, agente popular ambiental, o curso foi fundamental para aprofundar a importância da unidade para a comunidade. Ele mora há 35 anos próximo à Esec e, a cada etapa da formação, aprendeu mais sobre a Esec e sua relação ganhou um novo olhar e ação. “Hoje, eu brigo com os vizinhos para não colocarem o lixo ali perto. A reserva é o nosso coração. Tomo mesmo conta para que ninguém suje ou jogue lixo”, declarou o agente popular ambiental.

A gestão participativa na unidade de conservação foi a base para o sucesso do Projeto, que se preocupou ambientalmente com a Estação Ecológica, mas também lançou um olhar social para o entorno da unidade de conservação. A ação inseriu moradores que vivem próximos à Esec Caetés e pessoas que, mesmo sem formação específica na área de meio ambiente, tinham sensibilidade para desenvolver um trabalho em defesa da Mata Atlântica.

O Projeto foi iniciado em 2017 e concluído em 2021 e teve, como metodologia, a ação mapeou os problemas vivenciados pela unidade de conservação e avaliou que o descarte incorreto do lixo era uma situação grave na área. Para conscientizar a população, os agentes populares ambientais desenvolveram uma caminhada ecológica educativa nas ruas próximas à Estação e lançaram o podcast Sons da Natureza, produto disponível no Spotify e que discutiu “Natureza bem-estar físico e emocional”; e “Unidades de conservação e serviços ambientais”. Envolvidos com a causa, os agentes populares ambientais também fizeram algo para além do projeto. Eles se mobilizaram e realizaram uma obra de qualificação para inibir o descarte incorreto de lixo na Esec Caetés.

Para Joás Freires, agente popular ambiental, a primeira caminhada ecológica foi uma das atividades que mais o marcou. “A caminhada nos deu a oportunidade de mostrar para a comunidade e comerciantes que existem pessoas disposta a lutar para manter todo entorno da Esec livre de lixo já que por sua vez uma boa parte do comércio de Caetés é responsável pelo descarte incorreto de seus lixos”, relembrou. O agente afirma que sua participação no Projeto foi um divisor de águas na sua vida. “O Projeto me ajudou a ser mais focado em relação aos meus objetivos e, recentemente, efetuei uma inscrição em um curso superior voltado ao meio ambiente, que é minha paixão, e o projeto com toda certeza ajudou”, avalia Joás Freires.

O grupo participou ainda de um curso de manejo de animais silvestres, pois apenas uma rua separa a área urbana da unidade de conservação e, com os ensinamentos em manejo, os agentes populares ambientais poderão auxiliar os moradores, caso algum animal da mata seja visto fora da Esec Caetés. Como proposta para ações futuras, os agentes populares ambientais desejam se mobilizar para ajudar em ações de comunicação e educação ambiental, os agentes preveem a elaboração de vídeos, podcasts e cards educativos sobre a Estação para serem divulgados nas redes sociais de Facebook e Instagram que possuem. Além disso, investem também em formações entre elas está uma palestra de primeiros socorros e cursos para lidar com pequenos incêndios para a área.

Para Sandra Cavalcanti, gestora da Esec Caetés, o projeto se constituiu como uma grande contribuição de conscientização ambiental coletiva para a conservação da Esec Caetés e acredita que o trabalho de conservação seja realizado não apenas na Unidade, mas em toda a comunidade. “A minha expectativa é que o compromisso com o meio ambiente e sua conservação não seja só com a Unidade, mas com o bairro, a cidade, e ambiente familiar de cada agente popular ambiental, minimizando os impactos promovidos pelas pessoas que ainda não estão conscientes da importância de se preservar esse patrimônio ecológico da nossa vida”, finalizou.

Projeto – O Projeto Formação de Agentes Populares Ambientais da Estação Ecológica (Esec) Caetés é uma ação desenvolvida no âmbito do Termo de Colaboração nº 07/2017 (CPRH/Ane) e financiada com recursos da Compensação Ambiental. O Projeto é desenvolvido pela Ane e realizado pela ESEC Caetés, Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas).

Podcast Sons da Natureza

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*