Agentes populares ambientais entregam placas educativas à unidade de conservação

Os agentes populares ambientais realizaram, no sábado (05), a entrega de cinco placas educativas para o Refúgio de Vida Silvestre Matas (RVS) Sistema Gurjaú. Na ocasião, o Projeto Formação de Agentes Populares Ambientais RVS Gurjaú instalou coletores seletivos e dialogou com a comunidade sobre a importância da preservação da área. Ao final, os agentes populares ambientais fizeram uma trilha ecológica na unidade de conservação e avaliaram os impactos das ações do Projeto.

A primeira atividade do dia foi adesivar os seis coletores seletivos para papel, plástico, metal e vidro. Em seguida, os defensores da natureza visitaram as novas placas educativas que identificam o Refúgio como área de conservação da natureza para a comunidade e que informam ainda quais são as atitudes proibidas ou autorizadas naquele ambiente. A satisfação dos agentes populares ambientais era visível no rosto de cada um. “A atividade foi muito tranquila e positiva. Saímos hoje com o sentimento de trabalho cumprido e pudemos conversar mais uma vez com os moradores sobre a importância da preservação ambiental e agora dependemos deles para que as orientações sejam seguidas”, relatou Lucielma Maria de Melo, agente popular ambiental.

Durante a conversa, os proprietários dos bares locais repassaram que os coletores de resíduos sólidos estão surtindo efeito positivo e perceberam uma redução na quantidade de lixo próxima à unidade, porém há quem ainda insiste em jogar o lixo fora dos coletores. De acordo com os comerciantes, a presença do lixo tem gerado desconforto aos empreendedores locais, porque o lixo prejudica a visitação da cachoeira e a sensação de bem-estar daqueles que querem aproveitar o seu tempo de lazer. “Hoje eu consegui reunir amigos e familiares que vão poder me ajudar na limpeza da área. Vamos fazer um mutirão e entrar na mata para tirar tudo que for possível de lixo. Com o lixo, fica muito complicado para a gente”, afirmou Mari Santos, esposa do proprietário do bar próximo à unidade, que já demonstra o sucesso da ação em educação ambiental.

De fato, durante a trilha, os agentes populares ambientais verificaram que os frequentadores do local estão depositando lixo na mata. Para Patrícia Caldas, responsável pelo desenvolvimento do Projeto, acabar com os focos de depósito de lixo nas trilhas será um desafio que deve ser encarado pelos agentes populares ambientais. “Além da educação ambiental, o município deveria ceder, uma vez por semana, um trabalhador para tirar o lixo deixado por parte da população nos pontos da trilha ”, afirmou.

Na avaliação dos agentes populares ambientais, seria interessante punir por meio de multas aqueles que sujam a unidade. As propostas estão sendo pensadas pelo grupo para que a educação ambiental e a fiscalização dos órgãos responsáveis possam resultar em uma unidade de conservação devidamente livre de resíduos sólidos. O que não falta para os agentes é força de vontade e respeito pelo meio ambiente.

Projeto – O Projeto Formação de Agentes Populares Ambientais – RVS Gurjaú é realizado pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). A ação é desenvolvida pela Associação Águas do Nordeste (Ane), com os recursos da Compensação Ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*